quem sou eu

Minha foto
Belo Horizonte, MG, Brazil
penso, logo, não existo...

terça-feira, 23 de março de 2010

Júlio Varella - 50 anos fazendo arte

Depois de escrever literatura para crianças, contos, poesia, teatro e outras produções inclassificáveis, foi a vez de experimentar escrever um livro de memórias. Mas, calma: ainda não foram as minhas (se é que, um dia, as escreverei...).
Dois amigos - o produtor e diretor teatral Pedro Paulo Cava e a produtora cultural Simone Senra - recomendaram meu nome ao produtor cultural Júlio Varella, que buscava um ghost writer para ajudá-lo em seu livro de memórias.
Encarei o desafio e, após mais de um ano de conversas, entrevistas, pesquisas, ficou pronto, em dezembro de 2009, Júlio Varella - 50 anos fazendo arte, lançado em concorrida sessão de autógrafos no foyer do Palácio das Artes, em Belo Horizonte.
A edição - viabilizada com apoio das leis federal, estadual e municipal de Cultura - resume a trajetória de um dos mais importantes agitadores culturais dessas Minas Gerais, e conta com depoimentos de vários artistas e intelectuais.
CAPA DO LIVRO, QUE TEVE PROJETO GRÁFICO DE PEDRO VARELLA

Um comentário:

Teatro Solleo disse...

Ei, Aragão!
Esse boneco aí da capa é de autoria de quem? Parece produção do Giramundo ou de algum ex-integrante, pela estética que tem.

Um abração pra Vc e sucesso nas produções!

Sol Zofiro
(Grupo Teatro Solleo e Grupo Aldeia Teatro de Bonecos)


POEMA DE AMOR CONFESSO (DECLARAÇÃO PARA OS DEVIDOS FINS)

tira-gosto #1

"Então, aqui estou: nu
como quem é dado à luz

cego que tateia a treva

cigano que compra casa.

Então, aqui estou: todo
que se faz em partes

folha que o vento leva

cinza que envolve a brasa."


Fragmento do livro POEMA DE AMOR CONFESSO (DECLARAÇÃO PARA OS DEVIDOS FINS)
(Prêmio Elpídio Câmara de Poesia/2000, editado pela Fundação de Cultura Cidade do Recife/2001).
Edição esgotada. Disponível para novos editores.