quem sou eu

Minha foto
Belo Horizonte, MG, Brazil
penso, logo, não existo...

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

pra início de conversa

Pra ser honesto - comigo e com todos - devo dizer que é com grande ceticismo e relutância que estou iniciando um blog literário, onde pretendo divulgar alguns textos de minha autoria, inéditos ou não. A verdade é que sempre fui um crítico da internet como substituta da tradicional publicação de um livro, em todos os aspectos que envolvem essa questão. A começar por não acreditar no tão propalado fim iminente do livro, como objeto. Não me vejo - nem a maioria das pessoas - a "folhear" páginas eletrônicas de um Guimarães Rosa, um Fernando Pessoa ou um Dostoiévski, num desktop, ou mesmo num display de mão qualquer, que venha a ser lançado em breve. Também não comungo do senso comum de que o blog é um espaço democrático universal, que faculta a todos o livre acesso à produção literária desse ou daquele autor. Além do ainda restrito acesso da maioria da população ao ambiente digital no Brasil e no mundo, essa dita universalização atende mais, a meu ver, à ambição e à vaidade pessoal de quem escreve - e não consegue ser aceito pelo sistema editorial - que a uma real demanda de potenciais leitores. Blogs, dessa forma, tornam-se vitrines onde autores que buscam reconhecimento se oferecem mais a editores e olheiros, que propriamente a leitores, na expectativa de que sejam "descobertos" e publicados em brochura, escudados em uma pretensa e relativa celebridade internética. Falo, claro está, genericamente: há exceções, como em toda regra. Mas, enfim, se esse é o jogo, decidi participar, a despeito de não prescindir de continuar encaminhando meus originais às editoras e aos concursos literários - prática que já me rendeu quase 20 títulos publicados, por cinco diferentes editoras e mais de trinta prêmios no Brasil e no exterior. Pessoalmente, terei ainda que superar um desafio extra: ser fiel ao meu blog, dedicando alguns minutos do meu dia para tentar mantê-lo atualizado. É que isso vai me tomar um precioso tempo, que normalmente dedico a escrever meus poemas, contos, livros para crianças e peças de teatro...

13 comentários:

Cunhada Preferida disse...

Boa a iniciativa! Eu prefiro fazer comentários pessoalmente ou pelo menos por e-mail! Mas falando do objeto livro... Livro tem cheirinho e computador não tem e por aí vai... Já votei na sua enquete. Inté!

Anne disse...

Novidade aprovada! Porém se seu um desafio será perder algumas horas atualizando o blog, meu desafio será acompanhá-lo com frequencia.
Faremos o possível! Viva a internet! Viva o livro de verdade!
Viva a liberdade! rs
Beijos

Rosa Amanda disse...

Salve almo gêmeo! Bom ver sua versão virtual. Livro é livro, tela é tela e botequim é insubstituível.
beijo da Rosa Amanda

No@r@Resende disse...

Parabéns pela iniciativa!
Acho que "demorou!!!!"
Noara Resende
Diretora da EM Dr. José XAvier Nogueira

Marcelo disse...

Com Blog e ainda sem celular?
Vida Longa e estarei atento.
Marcelo Bones

Thayse disse...

Muito legal tio, mas devo concordar que prefiro muito mais papel que uma tela, falando nisso nossas cartas acabaram tristemente substituídas por e-mail...
Sempre que puder passarei por aqui!
Bos sorte nessa nova experiência!

babicampos29 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Babi disse...

Que lindo Pai!!!
Adorei...
Esse mundinho virtual faz parte né?! Com certeza seu tempo "perdido" atualizando seu blog será recompensado.
Beijos!!!

Di disse...

Aragão acho que vc é um cara atual e expressar-se através de um blog faz parte dessa atualidade. Tenho dois livros que baixei mas até agora não consegui lê-los...talvez seja a falta de hábito ou porquê como diz a Tati, falta o cheirinho. Acho que os livros serão eternos. Seja bem vindo.

Anônimo disse...

Aragão,

Te conheço de vista, te conheço a prestação.
Te conheço de emoção, de admiração e respeito – sentimentos que nos são passados pela Liège que lhe devota um carinho sem medida.
Você é a parte ausente de uma turma que sempre se reúne no almoço, é assunto e curiosidade.
Agora no blog você fica mais próximo dos leitores – parabéns pela iniciativa – mas não o redime do compromisso de se fazer presente nessa turma.
Espero, assim como os outros, o prazer de conhecê-lo pessoalmente.
Por enquanto receba o abraço do já amigo,

Fernando Assis.

Fargas disse...

Aragão, novidade boa esta.
Já inclui nos meus favoritos, dentro da secao "consultar sempre'. Então, pode ir tratando de atualizar este blog pelo menos a cada 5 minutos...
- - -
Agora, tenho que te confessar uma coisa: admiro profundamente pessoas que ainda conseguem viver, nos dias de hoje, sem celular, sem email e sem site. São poucas as que conheço, é verdade. E talvez por um saudosismo besta de um paraíso perdido, eu admiro estes desconectados.
- - -
Enfim,e em resumo: que bom que vc agora tem um blog. E, que ruim que agora vc tem um blog.

Abraços lendários,

Fargas

Anônimo disse...

Foi bom voce ter cedido, pois agora posso entrar no seu blog quando quiser, já que não recebia e-mail seu. Cheguei a pensar que voce tivesse trocado seu computador por uma ¨mont blanc¨.
Abraços e mais sucesso.
Obs: continuo aguardando a poesia adesivado do ¨concurso no onibus¨.
Krnerim.

Flávio disse...

Aragao,

estou usando o espaco aqui só pra falar que tenho tentado enviar emails pra vc no email do yahoo, mas estão voltando todos. Mnesagem de erro.

Dá uma conferida lá, plis, pra ver o que está errado.

abs

Fargas


POEMA DE AMOR CONFESSO (DECLARAÇÃO PARA OS DEVIDOS FINS)

tira-gosto #1

"Então, aqui estou: nu
como quem é dado à luz

cego que tateia a treva

cigano que compra casa.

Então, aqui estou: todo
que se faz em partes

folha que o vento leva

cinza que envolve a brasa."


Fragmento do livro POEMA DE AMOR CONFESSO (DECLARAÇÃO PARA OS DEVIDOS FINS)
(Prêmio Elpídio Câmara de Poesia/2000, editado pela Fundação de Cultura Cidade do Recife/2001).
Edição esgotada. Disponível para novos editores.